NOTÍCIAS
15/03/2014 09:22 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:13 -02

Só alegrias e boas conversas: a semana em que o PMDB derrotou o governo e acirrou crise pré-eleitoral

Esta foi a semana de 2014 mais ~alegre~ para o Palácio Planalto.

Conhecido por sua promiscuidade partidária (sempre ao lado da sigla poderosa da ocasião), o PMDB deixou claro que pode ser inimigo número 1 do governo.

Mesmo sendo da base aliada... Aliado… Com vice-presidente, cinco ministros, presidentes da Câmara e do Senado. Mesmo com tudo isso, o PMDB queria mais.

Queria liberação de emendas.

Queria mais ministério – para a bancada da Câmara.

Queria menos interferência do Executivo no trabalho dos deputados.

Queria mais respeito do PT e da presidente.

Em resposta a essa sanha, Dilma foi categórica com jornalistas:

– Olha aqui, eu vou te falar uma coisa: o PMDB só me dá alegrias.

O vice-presidente, Michel Temer, antes a força mais expressiva do PMDB, também sorriu.

"A presidenta foi muito explícita na frase", disse.

"Bons diálogos, boas conversas, sempre com vistas à pacificação absoluta."

Absolutamente verdade. Só coisa boa, só alegrias.

michel temer

E, tão logo Dilma e Temer cantarolaram o alegre dueto, o coro do PMDB engrossou na Câmara.

O vozeirão aliado virou oposição: a Câmara derrotou o governo ao aprovar comissão para investigar a Petrobras.

E a bancada do PMDB na Câmara, liderando o "blocão" rebelde, foi só alegria!

pmdb

pmdb

Este é o motivo da alegria de Dilma, a força por trás do "blocão" e rebelião do PMDB:

eduardo cunha

É o deputado federal Eduardo Cunha (PMDB), elemento representativo da política à brasileira.

Essa política em que menos importante que discutir e votar a "constituição da internet" é utilizá-la como barganha, como moeda de troca em disputa de poder.

E assim a votação do Marco Civil da Internet é adiada mais uma vez.

E o sempre alegre Michel Temer muda de opinião…

temer

"O que o partido resolver, eu estou junto", disse o vice.

O que inclui romper com PT e fazer a festa dos adversários de Dilma.

"Não preciso me apegar a nada. Tive sucesso na vida; se escrever um livro sobre Direito Constitucional, ele vende 500 mil exemplares", desabafou Temer.

pmdb

Best-seller de Temer! 500 mil exemplares!

Será essa a moeda de troca do PMDB pelo apoio a Aécio Neves ou a Eduardo Campos em outubro próximo?

A conferir.