NOTÍCIAS
13/03/2014 20:41 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:13 -02

Xangai vai ter medição de poluição em tempo real

Eternity in an Instant via Getty Images

A densidade média de partículas PM2.5 em Xangai no ano passado foi de 55 microgramas por metro cúbico, quase 60% acima do padrão nacional.

PM2.5 e ozônio são os poluentes mais sérios da cidade, afirmou Fu Qingyan, engenheira-chefe do Centro de Monitoração Ambiental Municipal, durante palestra ontem no Museu de Ciência e Tecnologia da cidade.

Mais de 70% dos dias de maior poluição registrados se deveram a PM2.5, partículas finas de menos de 2.5 micrometros de diâmetro, que representam uma séria ameaça ao sistema respiratório.

A cidade não se livrará de seu ar ruim tão cedo. Mas logo as pessoas poderão planejar suas atividades, graças à introdução de atualizações a cada hora da quantidade de poluentes. O sistema atual calcula a concentração de partículas a cada 24 horas.

“Um índice de qualidade em tempo real é muito útil, já que a média não leva em conta mudanças súbitas nas condições do tempo, que podem afetar significativamente a qualidade do ar”, disse ela.

Xangai tem 52 postos de monitoração da qualidade do ar, e as informações sobre as concentrações de seis poluentes — PM2.5, PM10, dióxido de enxofre, dióxido de nitrogênio, ozônio e monóxido de carbono – coletadas dos 10 pontos mais críticos são publicadas no site do centro, informa o Eco Business.