MUNDO
08/03/2014 16:08 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:13 -02

Dois passageiros do voo da Malásia para China podem ter usado passaportes falsos

KIM KYUNG-HOON/Reuters

Autoridades dos ministérios de Relações Exteriores de Roma e Viena confirmaram que os nomes de duas pessoas listados no manifesto do voo que desapareceu entre Malásia e China eram compatíveis com os de passaportes relatados como roubados.

O ministério das Relações Exteriores da Itália afirmou neste sábado que um homem italiano, cujo nome foi listado entre aqueles a bordo, está viajando na Tailândia e não estava no avião.

Um funcionário do ministério confirmou, sob condição de anonimato, reportagens italianas de que Luigi Maraldi havia registrado que seu passaporte havia sido roubado em agosto passado.

A agência de notícias italiana ANSA afirma que Maraldi ligou para casa depois de relatos de que um italiano com o seu nome estava a bordo do avião.

O porta-voz do ministério de Relações Exteriores da Áustria, Martin Weiss, confirmou que um nome listado no manifesto coincide com um passaporte austríaco roubado há dois anos na Tailândia. Weiss não confirmou a identidade.

LEIA TAMBÉM: Passageiros do voo são de 14 nacionalidades diferentes