NOTÍCIAS
05/03/2014 11:06 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:13 -02

A imortalização de Chávez nas redes sociais um ano após sua morte

Um ano após a morte do ex-presidente venezuelano Hugo Chávez, seu “espírito” permanece no plano terrestre para muitos chavistas. Nas redes sociais e nas ruas de Caracas e outras cidades, esta quarta-feira (05), feriado nacional, é dia de homenagear o “grande comandante” ou, como zomba a oposição, o presidente “galáctico, celestial e universal”.

As homenagens a Chávez no Instagram

Dezenas de milhares de chavistas devem participar de atos em Caracas e outras cidades, homenageando o presidente socialista que passou 14 anos no poder, sendo adorado pelos mais pobres por causa dos seus programas sociais, na mesma medida em que era odiado pelas classes médias e altas.

Está previsto também um desfile militar em mais uma oportunidade para o atual presidente Nicolás Maduro tomar as ruas e mostrar aos adversários que ele também é capaz de mobilizar as massas em meio à crise enfrentada no país devido a uma onda de protestos que deixou vários mortos e feridos.

Maduro, ex-motorista de ônibus e herdeiro político de Chávez, não tem o mesmo carisma do chamado “presidente invicto”, nem tem o domínio pessoal que ele tinha sobre o Partido Socialista Unido da Venezuela. Em 365 dias sem Chávez, ele se mostrou incapaz de resolver os muitos problemas do país, como a inflação, a deterioração dos serviços públicos e a disparada da criminalidade.

Por isso, ele usa, desde a morte do ex-presidente, uma mistura de “teologia” bolivariana” com espiritismo para manter os venezuelanos favoráveis ao seu governo como se Chávez ainda estivesse vivo.

Maduro já chegou a dizer, por exemplo, que Chávez era Cristo reencarnado, chamando-o de “Messias dos pobres” e que havia conversado diversas vezes com o líder morto por intermédio de um passarinho. A oposição ironizou as declarações e passou a chamar Maduro de “apóstolo”, mas ele não se ofendeu. Pelo contrário, passou a se denominar “Apóstolo de Chávez” ou “Filho de Chávez”.

Em outros contatos mediúnicos, Maduro viu Chávez em montanhas nas proximidades de Caracas e em obras no metrô da capital. "Chávez se fez montanha, Chávez se fez canção, Chávez é o sorriso de um menino, Chávez voando como um epassarinho, como apareceu para mim, feito um passarinho cantando, apesar de a direita, essa malvada e perversa, fazer piada, pois é minha crença, é meu amor e ponto", disse Maduro em outubro do ano passado.

Pode parecer um discurso bizarro para muitos, mas boa parte do venezuelanos não apenas se comove com essas palavras como as repetem em suas redes sociais. Veja uma seleção de homenagens a Chávez no Twitter.

(Com informações da Reuters)