NOTÍCIAS
21/02/2014 10:45 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:04 -02

Funcionários de TI ameaçam paralisar São Paulo

Reprodução

Funcionários de TI ameaçam paralisar serviços bancários, públicos e de telefonia na manhã desta sexta-feira (21) em São Paulo.

Os grevistas pedem reajuste nos salários de 8,8% e nos pisos de 10,3%, Vale Refeição (VR) e Participação nos Lucros e Resultado (PLR), segundo o Sindicato dos Trabalhadores em Tecnologia da Informação do Estado de São Paulo (Sindpd).

Na capital paulista, haverá manifestações nas maiores empresas do país. Em Alphaville, na CPM Braxis Capgemini e Fidelity, e em frente da Sonda IT, Tivit, Indra e Prodam.

O sindicato afirma que esteve nas principais empresas da área com sede na capital e no interior. Segundo o órgão, muitos trabalhadores aderiram à greve e algumas empresas tiveram adesão total, respeitando apenas o contingente mínimo que determina a Lei de Greve. Como o caso da Prodam, responsável pelos sistemas de tecnologia da Informação da cidade de São Paulo.

Na Fidelity, que possui clientes como Vale, Claro e Petrobras, muitos trabalhadores não foram trabalhar. Em seis empresas de TI que prestam serviços para a Vivo - Indra, Getronics, Unicom, Uranet, TSI e TCP – a adesão também foi massiva.

Na Sonda IT, a PM foi chamada pela empresa para tentar impedir que o sindicato falasse com os funcionários que chegavam. Entretanto, muitos ônibus que levam os trabalhadores até a companhia já chegaram quase vazios. Além delas, houve manifestações em frente à CPM Braxis Capgemini, Tivit, Indra e TODO GPI.

Todos os trabalhadores da Prodam, empresa responsável pelo sistema de TI as cidade de São Paulo, prometem parar suas atividades a partir de agora. Apenas 300 dos 900 funcionários permanecerão em seus postos conforme negociado com a companhia, como determina a Lei de Greve.

A negociação salarial da categoria foi levada até a quinta rodada, mas terminou sem acordo entre empresários e trabalhadores. A última proposta apresentada pelo patronato foi de reajuste de 6,5%, obrigatoriedade de apresentação de plano PLR para empresas com mais de 10 funcionários, VR apenas para companhias com mais de 35 empregados e reajuste dos pisos de 7%.

As maiores companhias do setor - TIVIT, Totvs, IBM, Sonda IT, Fidelity, CPM Braxis, Indra, Prodam e Prodesp - possuem clientes como VIVO, Petrobras, Embratel, Claro, BM&FBovespa. Prodam e Prodesp são responsáveis pela emissão de notas fiscais, arrecadação de IPTU, processamento de multas de trânsito, agendamento de consultas e exames médicos, serviços jurídicos e de segurança.

Os 110.000 funcionários de TI do estado de São Paulo representam 45% dos trabalhadores da área do país. Em uma pesquisa realizada pelo sindicato com 2.000 funcionários, 84% dos entrevistados se disseram a favor da greve. As informações sobre a greve são da assessoria de imprensa do sindicato.