NOTÍCIAS
14/02/2014 12:22 -02 | Atualizado 26/01/2017 20:50 -02

PM paulista na mira por relatos de abusos a adolescentes

Marco Ambrósio/Estadão Conteúdo

A Polícia Militar (PM) de São Paulo é alvo de críticas nesta sexta-feira (14) depois de notícias de abusos a adolescentes no interior do estado aparecerem na imprensa.

O jornalista Bruno Paes Manso escreveu em seu blog no site do jornal O Estado de S. Paulo que a PM afirma que o jovem José Guilherme Silva, de 20 anos, foi capaz de dar um tiro na própria cabeça ainda que estivesse algemado com as mãos para trás.

O adolescente morreu em 14 de setembro dentro de um camburão da Força Tática da PM de Limeira, no interior de São Paulo. Ele foi acusado de ter participado de um assalto, mas não encontraram armas com ele. O blog disse ter entrado em contato com a PM para ouvir uma resposta, mas ainda não obteve retorno. O artigo está repercutindo nas redes sociais.

Enquanto isso, em São Simão, uma briga de alunos terminou com violência da Polícia Militar, afirmou o jornal A Cidade. Segundo a reportagem, adolescentes de 12 a 17 anos foram agredidos, algemados e ameaçados na quinta-feira (13). Eles estudam na escola estadual Capitão Virgílio Garcia, alvo de atos de vandalismo de alunos esta semana.

Em resposta ao jornal, o capitão Maurício Tavares disse que os policiais seguiram o "procedimento normal" na ação e que os alunos da escola têm "índole violenta". A PM também disse que policiais ficaram feridos na ação.

Menos mortes - Em janeiro, a PM divulgou que o número de mortes causadas por policiais caíram 39% - o nível mais baixo em 15 anos em São Paulo. A queda no índice acontece um ano após a resolução que recomenda que policiais não socorram feridos nas ruas e aguardem atendimento especializado.