NOTÍCIAS
09/02/2014 11:13 -02 | Atualizado 26/01/2017 20:50 -02

Woody Allen: filha Dylan rebate artigo do cineasta ao New York Times

Reuters

Dylan Farrow, filha de Woody Allen e Mia Farrow, respondeu imediatamente a artigo publicado pelo cineasta norte-americano no sábado, 8 de fevereiro, pelo site do jornal The New York Times e veiculado neste domingo, 9, na versão impressa. “Mais uma vez, Woody Allen ataca a mim e à minha família em um esforço para me desacreditar e me silenciar, mas nada do que ele diz ou escreve pode mudar a verdade. Por 20 anos eu nunca vacilei em descrever o que ele fez comigo. Vou carregar as lembranças de ter sobrevivido a essas experiências para o resto da minha vida”, afirmou Dylan, atualmente com 31 anos, em texto publicado pelo The Hollywood Reporter.

“Se falar sobre a minha experiência pode ajudar outros a enfrentarem seus algozes, vai valer a pena a dor e o sofrimento que meu pai continua a infligir sobre mim. Woody Allen tem um arsenal de advogados e publicitários, mas a única coisa que ele não tem do seu lado é a verdade. Eu não vou deixar a verdade ser enterrada e não vou ser silenciada”, afirmou Dylan, em resposta ao artigo publicado por Allen.

Em seu texto no New York Times, o cineasta afirma que Dylan, então com 7 anos, teria sido manipulada por Mia Farrow após Woody Allen terminar seu relacionamento de 12 anos com a atriz para ficar com Soon-Yi, filha adotiva de Mia na época com 20 anos. “Não duvido que Dylan acredite que tenha sido molestada, mas se, a partir de 7 anos de idade uma criança vulnerável é ensinada por uma mãe forte a odiar seu pai, a vê-lo como um monstro que abusou dela, não é inconcebível pensar que após muitos anos de doutrinação essa imagem que Mia queria criar sobre mim tenha criado raízes?”, questiona Allen.

No artigo, Woody Allen reconhece que sua relação amorosa com Soon-Yi provocou muito estranhamento quando veio a público, mas defende-se dizendo que o casal continua junto desde então, numa relação feliz, com dois filhos adotivos. Ele também acusa Mia Farrow de impedi-lo de se encontrar com Dylan desde sua separação, assim como Moses e Ronan, outros dois filhos do casal. Moses, que tinha 14 anos na época da separação dos pais, defendeu Allen e afirmou que a mãe manipula a irmã mais nova.

“Claro, eu não molestei Dylan. Eu a amava e espero que um dia ela entenda que sempre teve um pai amoroso e foi enganada por uma mãe mais interessada em destilar sua própria raiva do que na felicidade da filha”, escreveu.

“Ninguém quer desencorajar as vítimas de abuso a falar, mas é preciso ter em mente que às vezes há pessoas que são falsamente acusadas e isso também é uma coisa terrivelmente destrutiva”, concluiu Allen. O cineasta disse que esta seria sua palavra final sobre o assunto.

Leia também estes dois posts publicados neste final de semana pelo Brasil Post:

Dylan Farrow e Woody Allen: o perverso caminho do julgamento sem provas.

Woody Allen, Coari e o que importa: suas vítimas.