NOTÍCIAS
08/02/2014 09:25 -02 | Atualizado 26/01/2017 20:50 -02

Andrea Haas, mulher de Henrique Pizzolato, à Istoé: "Ninguém quer perder 5 minutos de seu tempo para saber a verdade"

Reprodução/Istoé

Capa da revista Istoé publicada nessa sexta-feira (7), Andrea Haas, mulher de Pizzolato, falou com a revista minutos depois de receber a notícia de que seu marido teve a liberdade provisória negada. Na entrevista ela conta que está arrasada, e fala que Pizzolato se sente augustiado e decepcionado: "Você deixa de ser dono da sua vida".

Ela fez críticas a falta de transparência do judiciário brasileiro e diz que não considera o sistema democrático: "As pessoas falam no Brasil que a televisão no julgamento é algo democrático, mas não é nada disso. Ela mostra os ministros falando, mas não mostra os documentos."

Sobre a fuga ela afirma que não via saída, mas confessa que não gostaria de ter deixado o país: "Temos um monte de sobrinhos e queríamos ver o crescimento de todos eles. Também gostamos de morar no Brasil, de encontrar os amigos. Nossa vida está lá".

Andrea ainda criticou a postura do Partido dos Trabalhadores frente à crise do mensalão: "(...) Acho que o PT nunca soube enfrentar esse processo de frente. Deixou-se carimbar".

Sobre as acusações dos crimes cometidos por seu marido, ela foi enfática e disse que não houve desvio de dinheiro.

ISTOÉA senhora poderia explicar o que, em sua avaliação, há de errado nessa acusação?

Andrea – Não houve desvio. Basta ler a auditoria do Banco do Brasil para concluir que não houve desvio. Os gastos declarados foram feitos. Estão lá, com recibos e notas fiscais. E são gastos com empresas de comunicação, com publicidade que saiu na televisão, nos jornais, nas revistas. A auditoria mostra qual veículo recebeu tal verba, qual veículo recebeu a outra verba. Se não fosse verdade, eles poderiam ter denunciado a fraude. Mas os anúncios estão lá, foram publicados. Você acha que se alguém tivesse desviado R$ 73 milhões de reais da Visa, empresa que é dona do Fundo Visanet, ela não teria aberto uma investigação para apurar o que tinha acontecido? Você acha que se tivessem sumido R$ 73 milhões do Banco do Brasil não teria sido aberto um inquérito interno para se apurar o que tinha acontecido?

Nos dias que antecederam a prisão, Andrea disse que se sentiu muito sozinha, mas que não se considerava vítima: "Todo o dia eu tenho que convencer as pessoas. Tento mostrar o que aconteceu, mas é como se estivesse diante de uma avalanche de mentiras. Isso não é viver. Ninguém quer perder 5 minutos de seu tempo para saber a verdade."

Leia a entrevista completa no site da Istoé