NOTÍCIAS
06/02/2014 18:06 -02 | Atualizado 26/01/2017 20:50 -02

Apagão: ONS diz que raio pode ser a causa; Dilma nega

Estadão Conteúdo

Rio e Brasília - O diretor-geral do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), Hermes Chipp, disse nesta quinta-feira que

um raio pode ter provocado o apagão da última terça-feira, 04, mas depois foi desmentido pela presidente Dilma Rousseff.

Por meio do ministro da Secretaria de Comunicação Social, Thomas Traumann, que acumula a função de porta-voz da Presidência, a presidente reafirmou que o "sistema elétrico brasileiro é à prova de raios".

"O Brasil é um dos países com maior quantidade de raios no mundo. O sistema elétrico brasileiro foi montado para ser à prova de descargas elétricas, com uma gigantesca rede de para-raios. Se os raios foram realmente responsáveis pela queda de fornecimento de energia, cabe ao ONS apurar se os operadores estão mantendo adequadamente sua rede de para-raios", disse o ministro, em breve declaração à imprensa.

Empresas envolvidas na investigação das causas do apagão, que deixou 13 Estados e seis milhões de pessoas no escuro na última terça-feira, trabalham com a hipótese de a falha ter sido causada por uma descarga atmosférica (raios).

"É uma das hipóteses. Temos que verificar com os institutos especializados se haviam descargas no momento. Eles têm como identificar isso", afirmou Chipp. Conforme revelou o Broadcast, serviço de informação em tempo real da Agência Estado, a avaliação preliminar das transmissoras envolvidas é de que a causa provável da falha na rede foi a queda de um raio.

Atualizado às 21h com as declarações da presidente Dilma Rousseff