NOTÍCIAS
05/02/2014 09:22 -02 | Atualizado 26/01/2017 20:50 -02

ONU critica Vaticano sobre abuso a crianças

Getty Images

O comitê de direitos humanos da Organização das Nações Unidas (ONU) criticou duramente o Vaticano por adotar políticas que permitiram que padres estuprassem e molestassem dezenas de milhares de crianças.

A organização também solicitou a abertura de processos sobre pedófilos e clérigos que ocultaram seus crimes e que o Vaticano "afaste imediatamente" todos os clérigos conhecidos ou suspeitos de abuso infantil.

Em relatório publicado nesta quarta-feira (5), o comitê da ONU também faz severas críticas à Santa Sé por suas atitudes em relação ao homossexualismo, à contracepção e ao aborto e pediu que a igreja revise suas políticas para garantir os direitos das crianças e seu acesso à saúde.

O comitê publicou suas recomendações depois de submeter a Santa Sé a uma interrogatório, no mês passado, a respeito a implementação pela igreja da Convenção da ONU sobre os Direitos da Criança, o principal tratado internacional que assegura os direitos das crianças.

"O comitê está gravemente preocupado que a Santa Sé não tenha reconhecido a extensão dos crimes cometidos, não tenha tomado as medidas necessárias para lidar com os casos de abuso sexual de crianças, e tenha adotado políticas e práticas que levaram à continuação do abuso e à impunidade dos responsáveis", disse o relatório.

Espera-se que o Vaticano emita um comunicado sobre o relatório até o final desta quarta-feira. O comitê da ONU sobre os Direitos das Crianças disse que a Igreja Católica ainda não tomou medidas para prevenir a repetição de casos tais como o escândalo das lavanderias Magdalene, na Irlanda, onde meninas foram arbitrariamente colocadas em condições de trabalho forçado.

(Com agência Reuters)