COMPORTAMENTO
03/02/2014 10:10 -02 | Atualizado 26/01/2017 20:50 -02

Psiquiatra explica o que é a esquizofrenia

Thinkstock

Em 2009, Gloria Perez abordou na novela “Caminho das Índias” o sofrimento de milhares de brasileiros e familiares que convivem com a esquizofrenia. Hoje, cinco anos depois, o tema volta à cena de maneira mais dramática. O cineasta brasileiro Eduardo Coutinho foi morto a facadas, no domingo (02), em seu apartamento na zona sul do Rio de Janeiro. Segundo a polícia, o crime foi cometido pelo filho de Eduardo, Daniel Coutinho, em um surto de esquizofrenia.

A esquizofrenia afeta a capacidade mental da pessoa de distinguir se as experiências vividas são ou não reais, explica o psiquiatra Rodrigo Bressan, coordenador do Programa de Esquizofrenia (Proesq) da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). O médico revela ainda que o indivíduo passa a ter delírios e alucinações. "Esses sintomas fazem com que ele se retraia e o deixa cada vez mais isolado da sociedade. Não há cura, mas o tratamento controla os sintomas e ajuda as pessoas afetadas a terem uma vida parecida com a de quem não sofre da enfermidade. Ou seja: elas podem trabalhar, namorar, ter amigos e se divertir", explica o doutor Bressan.

Junto com Cecília Villares, presidente da Associação Brasileira de Familiares, Amigos e Portadores de Esquizofrenia (ABRE), e Jorge Cândido Assis, vice-presidente da Associação e portador da doença há 24 anos, o psiquiatra escreveu o livro Entre a Razão e a Ilusão - Desmistificando a Loucura, da Editora Segmento Farma.

Há 11 anos, Jorge ministra aulas e palestras e faz campanhas para tentar reduzir o preconceito que existe contra a enfermidade. Ele também ajudou Gloria Perez e a assistente dela a entender melhor a situação. Acompanhe aqui a entrevista que Assis concedeu à revista TITITI.

Afinal, o que é a esquizofrenia?

É uma doença decorrente de mudanças na maneira como o cérebro processa as informações. Normalmente, aparece entre o final da adolescência e o começo da vida adulta (entre 17 e 30 anos). Ela se caracteriza por:

- dificuldade da pessoa doente de distinguir entre a realidade e as crenças incomuns que passa a ter;

- percepções dos sentidos sem que haja o estímulo externo, por exemplo, ouvir vozes quando ninguém está falando;

- perda da energia física e problema para realizar tarefas que antes conseguia fazer sem grande esforço.

A quais sinais os familiares devem ficar atentos?

Há um período, que antecede o aparecimento da doença, que é marcado por perda de rendimento escolar ou no trabalho, ideias de perseguição, pensamentos ou interesses incomuns e sem base na realidade. Vale a pena ficar atento.

De que forma se cuida da esquizofrenia?

O tratamento é feito por uma equipe formada por psiquiatra, psicólogo, terapeuta ocupacional, enfermeiro e assistente social. O médico psiquiatra (depois do diagnóstico) indica os remédios e acompanha o paciente, pois só ele conhece bem os efeitos da medicação, que, em geral, é controlada.

EXTRA:

A revista SAÚDE mapeou a interferência que o transtorno causa na massa cerebral:

1. Desordem bioquímica

O neurotransmissor dopamina, associado a estados de excitação, encontra-se elevado em algumas regiões cerebrais.

2. Onde mora o problema

A região límbica é a principal área do cérebro alterada na esquizofrenia. Ela responde pelos nossos instintos e sentimentos.

>>Quem teve traumas profundos na infância corre um risco três vezes maior de sofrer do distúrbio.