ENTRETENIMENTO
03/02/2014 09:35 -02 | Atualizado 26/01/2017 20:50 -02

5 filmes para entender a obra de Eduardo Coutinho

Sesc em São Paulo/Flickr
Crédito: © Modds

Nascido na cidade de São Paulo, em 1933, Eduardo Coutinho é um dos principais responsáveis por definir o gênero documentário no Brasil.

A capacidade do diretor em extrair fragmentos simples dos entrevistados e transformar isso na matéria-prima de suas obras, serviu como a base para alguns dos registros mais autênticos da produção nacional.

Películas como Cabra Marcado Para Morrer (1984), Edifício Master (2002) e Peões (2004) que trouxeram na observação de um grupo ou mesmo ambiente específico o princípio de condução para as imagens do documentarista.

Morto de forma trágica - o cineasta foi assassinado pelo filho esquizofrênico -, Cutinho deixa algumas das obras mais importantes da produção cinematográfica brasileira, algumas delas listadas (abaixo) e disponíveis na íntegra para o público:

Cabra Marcado Para Morrer (1984)

Centrado na vida do líder camponês João Pedro Teixeira, morto em 1962, o trabalho busca remontar o universo em torno do personagem com base no depoimento de pessoas que atuaram ao lado de Teixeira. Iniciado em 1964, porém interrompido por conta do Golpe Militar, o registro seria concluído somente na década de 1980.


Babilônia 2000 (2000)

Filmado na virada dos anos 2000, o documentário retrata a vida dos moradores do Morro da Babilônia, no Rio de Janeiro, e suas expectativas para o novo ano que estava chegando. Filmado ao longo de 12 horas, o trabalho reforça os preparativos, sonhos e desilusões do moradores antes do reveillon.


Edifício Master (2002)

Considerada a obra-prima do documentarista, Edifício Master usa de histórias simples dos moradores de um edifício no Rio de Janeiro como a base para a condução das imagens. Durante a produção do documentário - gravado ao longo de três semanas -, Coutinho e sua equipe se mudaram para o prédio, mergulhando de vez no cotidiano dos moradores.


Peões (2004)

Complementar ao trabalho de João Moreira Salles, em Entreatos (2004), Peões observa os líderes sindicais do ABC paulista que se mantiveram no anonimato em relação à ascensão política de Lula. A proposta era desenvolver um plano de fundo para aquilo que Salles desenvolveu de forma a acompanhar a campanha política do ex-líder sindical e futuro presidente da República.


Jogo de Cena (2007)

De um lado, o documentário, expresso pelas histórias e depoimentos de mulheres selecionadas para a película. No outro oposto, a atuação, reforçado por atrizes como Marília Pêra e Fernanda Torres, convidadas para reviver as histórias de cada uma das entrevistadas. Uma obra em que o ficcional e a realidade se misturam no palco montado por Coutinho.