NOTÍCIAS
28/01/2014 15:50 -02 | Atualizado 26/01/2017 20:50 -02

Rovio nega que Angry Birds seja usado para vigilância

Reprodução/Facebook

A Rovio, empresa criadora do aplicativo para celular Angry Birds, anunciou nesta terça-feira (28) que não compartilha dados ou colabora com qualquer agência de espionagem governamental, tanto a americana NSA (Agência de Segurança Nacional) quanto a britânica GCHQ. Na segunda-feira, os jornais The Guardian e The New York Times e a agência ProPublica revelaram que EUA e Grã-Bretanha usavam o popular aplicativo para espionar usuários.

“Houve especulações na imprensa de que a NSA usa o Angry Birds para coletar dados de usuários. A suposta vigilância pode ser conduzida por redes de propaganda usadas por milhões de sites comerciais e aplicativos de celular usados em todos os mercados (...). A Rovio não permite que qualquer rede do tipo use ou entregue dados pessoais dos usuários pelos nossos aplicativos”, disse a companhia em comunicado.

A revelação vem de informações de documentos vazados pelo ex-analista da inteligência americana Edward Snowden. Na matéria de denúncia do Guardian, o jornal disse que os dados que são enviados da nova geração de aplicativos para iPhone e Android revelam idade, gênero e localização. Alguns aplicativos, segundo Snowden, poderiam compartilhar informações mais pessoais dos usuários, como orientação sexual, podendo chegar a detalhar inclusive as preferências sexuais do usuário, como se ele é adepto do swing.