NOTÍCIAS
27/01/2014 17:11 -02 | Atualizado 26/01/2017 20:50 -02

Brasil termina 2013 com 271 milhões de celulares

Michele Ficara Manganelli/Flickr
#vertuti VERTU TI Smartphone Android Le foto del lancio milanese nella boutique di via montenapoleone, quando la tecnologia incontra la perfezione dello stile nel connubio di un lusso sostenibile

O Brasil terminou 2013 com 271.099.799 linhas ativas na telefonia móvel, informou nesta segunda-feira, 27, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Somente em dezembro, foi registrado acréscimo de 580,92 mil linhas. No ano, foram 9,92 milhões de novas adesões, ou seja, um crescimento de 3,55% ante o estoque do final de 2012.

Em dezembro de 2013, os acessos pré-pagos totalizavam 211,58 milhões, ou seja, cerca de 78% do total. Os pós-pagos representavam 59,52 milhões de linhas, representando a fatia de 22% restante. A banda larga móvel totalizou 103,11 milhões de acessos, dos quais 1,31 milhões já são terminais com tecnologia 4G.

A "teledensidade" alcançou 136,45 acessos móveis para cada grupo de cem brasileiros ao final de dezembro, ante 136,24 para cem pessoas, em novembro. O Distrito Federal foi onde dezembro terminou com a mais elevada teledensidade: 222,95 celulares para cada cem pessoas ao final de dezembro. O Maranhão foi o Estado com o índice mais baixo: 95,37 celulares para cada cem pessoas. São Paulo, que é o principal mercado do País, com 65,085 milhões de acessos móveis, encerrou dezembro com teledensidade de 153,7 linhas para cada cem habitantes.

Ao final de 2012, O Brasil tinha 261.807.903 de acessos móveis. Com isso, a teledensidade era de 132,79 linhas para cada cem habitantes naquele período, apontam dados da Anatel.

Na divisão de mercado, a Vivo terminou 2013 na liderança, com 77,244 milhões de linhas, ou seja, 28,49%. A segunda posição ficou com a Tim, com 73,431 milhões de terminais, o que representou fatia de 27,09%. A Claro obteve o terceiro lugar, com 68,704 milhões de acessos, ou seja, 25,34% do total; e a Oi ficou na quarta posição, com 50,216 milhões de celulares (18,52%). Também são citadas CTBC, Nextel, Portoseguro, Sercomtel e Datora que, juntas, somam 1,503 milhão de linhas, ou seja, pouco mais de 0,5% do total.