COMPORTAMENTO
24/01/2014 20:38 -02 | Atualizado 26/01/2017 20:50 -02

As lições de comportamento que podemos aprender com os animais

Thinkstock

Os seres humanos são fundamentalmente animais sociais, e para vivermos de maneira mais pacífica o reino animal poderia nos ensinar algumas coisas.

Pesquisas demonstraram que os animais são capazes de uma grande profundidade emocional e de sistemas complexos de cooperação social, e sabemos que eles podem sentir carinho uns pelos outros e pelos seres humanos.

"A ciência descobriu muito sobre a vida interior de diversas espécies, mais do que costumamos nos dar crédito", escreveu Marc Bekoff, autor de "The Emotional Lives Of Animals" (A vida emocional dos animais), em uma postagem no blog Greater Good. "Na verdade, a vida dos animais não é tão privativa, escondida ou secreta; diversas pesquisas nos deram percepções da vida emocional dos bichinhos. Hoje sabemos que eles têm um ponto de vista e que experimentam sentimentos profundos."

Aqui estão 11 coisas que o comportamento social dos animais pode nos ensinar para sermos melhores uns com os outros.

Eles respeitam os idosos

elefantes

Nas tribos de elefantes africanos, as matriarcas são as líderes do grupo até morrerem, muitas vezes com mais de 60 ou 70 anos, e os elefantes se beneficiam da experiência da matriarca idosa. Pesquisas mostraram que grupos de elefantes com matriarcas mais velhas são mais eficazes no combate a leões predadores. As matriarcas com mais de 60 não dão sinais de declínio cognitivo e são melhores para identificar a ameaça de predadores e reagir a ela.

"Você poderia esperar que elas se marginalizassem até morrer, mas isto sugere que não têm o mesmo tipo de declínio cognitivo que os seres humanos", disse a ecologista evolucionista Karen McComb a "The New York Times". "É claro que as mulheres de 60 anos estão se saindo muito bem, não é?"

Eles dão sinais de empatia e compaixão

cao cachorro

Qualquer pessoa que tiver um animal de estimação há muito tempo sabe que os animais podem ser incrivelmente sintonizados com os estados emocionais e físicos dos seres humanos. Um estudo recente reforçou isso, mostrando que os cachorros bocejam mais em reação aos bocejos de seus donos do que aos dos outros, o que sugere que os cachorros têm empatia por seus donos.

Muitas pesquisas sugerem que os animais são capazes de uma grande profundidade de empatia. Em um estudo, Carolyn Zahn-Waxler, do Instituto Nacional de Saúde Mental dos EUA, pretendia examinar a reação emocional de crianças pequenas às emoções de membros da família, mas descobriu que alguns animais demonstravam tanta preocupação quanto as crianças quando seus donos adultos fingiam estar em dificuldade. Os animais ficavam perto dos donos e colocavam a cabeça em seus colos, reagindo à manifestação de emoção.

E, em um estudo de 1964, o famoso psiquiatra Jules Masserman descobriu que os macacos resos se recusavam a puxar uma corrente que lhes traria comida se, ao fazer isso, ferissem outro macaco.

Eles se afagam

Eles são simpáticos com seus vizinhos

macacos

Os macacos que vivem em grupos muitas vezes exibem comportamentos altamente sociais. Os macacos colobus vermelhos (na foto acima) são tão amistosos que até sociabilizam com membros de outras espécies, segundo a BBC Nature, catando parasitas dos outros como sinal de amizade e respeito. Os babuínos também são altamente sociáveis, e às vezes interagem em brincadeiras com grupos de chimpanzés vizinhos.

Eles podem perceber os sentimentos alheios

gato

Todos ouvimos falar que os animais podem detectar o medo, mas sua capacidade de perceber o que os outros estão pensando e sentindo (até de modo subconsciente) vai muito além de sentir fraqueza ou uma ameaça. Em um caso extraordinário, um gato chamado Oscar em um lar de idosos de Rhode Island (EUA) previu a morte de cerca de 50 pessoas postando-se diante de suas camas poucas horas antes de morrerem.

"Sua mera presença junto à cama é considerada pelos médicos e enfermeiras um indicador quase perfeito da morte iminente, permitindo que os funcionários avisassem adequadamente as famílias", escreveu o geriatra dr. David Dosa no "New England Journal of Medicine". "Oscar também ofereceu companhia para aqueles que de outro modo teriam morrido sozinhos. Por seu trabalho, ele é altamente considerado pelos médicos e funcionários na Steere House e pelas famílias dos moradores a quem ele serve."

Eles se ajudam uns aos outros

elefante

Os elefantes estão entre os animais mais inteligentes que existem - e podem ser melhores que muitos seres humanos quando se trata de trabalhar juntos. Psicólogos evolucionistas descobriram que os elefantes são altamente hábeis em coordenação social quando perseguem objetivos comuns. Um estudo de Cambridge revelou que os elefantes podem aprender a se coordenar com um parceiro em uma tarefa na qual a dupla tinha de puxar simultaneamente duas pontas da mesma corda para obter uma recompensa. Não apenas eles agiam efetivamente juntos, como se um parceiro estivesse atrasado o outro esperava por até 45 segundos.

Eles são diplomáticos

golfinho

Os golfinhos têm uma "linguagem" e um sistema de comunicação sofisticados, e em certos casos usam sons para evitar violência ou confronto. O golfinho comum tem um repertório vocal de 14 sinais sociais diferentes, segundo o cientista J. Andrea Bernal Shirai. Eles fazem sons de estalido pulsante como uma maneira de evitar agressão em situações de alta excitação e energia, possivelmente quando competem por comida.

"Os golfinhos nariz-de-garrafa fazem estalidos mais longos quando estão caçando e em momentos de alta agressividade, que possibilitam que cada indivíduo mantenha sua posição na hierarquia social do grupo", explicou o site Phys Org. "Eles emitem esses sons estridentes, por exemplo, quando estão na presença de outros indivíduos que se movem em direção à mesma presa, obrigando o mamífero menos dominante a rapidamente se afastar para evitar o confronto."

Eles podem encontrar amor em qualquer lugar

Um caso de amor improvável entre um cisne e um trator revela uma verdade importante do reino animal: o amor é cego e pode ser encontrado até nos lugares mais surpreendentes. Os cisnes formam casais para toda a vida, e quando Schwani, de 8 anos, não conseguiu encontrar outra ave para acompanhar, buscou um parceiro em outro lugar. Em um hotel alemão, o cisne se encantou pelo trator do zelador. Segundo a CBS, Schwani "simplesmente não se cansa de seu companheiro mecânico".

"Ele me segue o tempo todo, não importa aonde eu vá - quer eu atravesse a rua ou me aprofunde no jardim zoológico para tirar esterco dos caminhos, o cisne vem junto", disse à CBS o hoteleiro Herman Josef Hericks. "E se eu faço uma pausa ele fica parado ao lado dele... como se estivesse pronto para entrar."

Eles gostam de brincadeiras em grupo

Eles fazem o amor durar

Muitas espécies de animais formam casais para toda a vida, incluindo cisnes, lobos, albatrozes, cupins, águias-carecas e macacos gibões (a espécie mais próxima dos humanos que faz isso, mas às vezes buscam prazer fora do relacionamento). Na maioria das espécies de aves que se acasala por toda a vida, como as águias, pombos e rolinhas, um animal só escolhe outro parceiro se seu companheiro morrer. E, apesar da sabedoria popular de "Friends", as lagostas não entram na lista (seu sistema de acasalamento é mais parecido com um harém).

Eles vão em frente com a ajuda dos amigos